Posts Tagged 'África do Sul'

Imagem do dia #149

Para ver a bicharada no Kruger sofre-se muito… 🙂

Faltam 100 dias para o Mundial de Futebol África do Sul 2010

Faltam hoje precisamente 100 dias para o primeiro Campeonato do Mundo de Futebol ser jogado em terras africanas. Esta é uma oportunidade única para a África do Sul se mostrar ao mundo como uma nação jovem e dinâmica, afugentando a imagem de insegurança nas ruas que é tão comum nos media quando se referem a este país.

A História às vezes é madrasta, mas o regime de segregação que a África do Sul viveu durante várias décadas prepararam o país para estar no topo do continente: os meios de comunicação, a saúde, a educação, a economia, o turismo e o bem-estar social têm neste Estado da África Austral um patamar muito elevado, deixando a milhas a maior parte dos restantes países africanos.

A África do Sul, grande potência do continente africano, vê a organização de um evento com este calibre como o pontapé de saída para se lançar no mundo.

Como em todas as grandes organizações, há sempre pormenores de última hora e chamadas de atenção. Os principais órgãos de media fora da África do Sul fazem manchete com o suposto atraso nos preparativos para o Campeonato; outros alertam para a dificuldade de acesso de um africano comum aos bilhetes para os diversos jogos; há notícias de estádios não completos e, ainda, do potencial falhanço na atracção de turistas: a “África do Sul não fica perto de Europa!

Para os media sul-africanos, a festa está quase a começar!

Acalmem-se os adeptos… a FIFA já veio a terreiro dizer que “afinal, está tudo a correr como previsto!

Eis as notícias em destaque:

FIFA SATISFEITA COM PREPARATIVOS PARA O MUNDIAL DA ÁFRICA DO SUL

toda a notícia em: BBC para África

FIFA DENIES AFRICAN FANS PRICED OUT OF WORLD CUP

toda a notícia em: BBC

SOUTH AFRICA 2010 – 100 DAYS AND COUNTING

 toda a notícia em: CNN

PITCH HEADACHE FOR FIFA

toda a notícia em: iAfrica.com

FIFA GIVES SA 8 OUT OF 10

toda a notícia em: Sport24

 

Capas dos Jornais Cape Argus e Cape Times da Cidade do Cabo

A sorte e o azar de ser vizinho da África do Sul

Moçambique exporta mão de obra e “sabedoria” mas de resto é “incapaz de produzir um botão“. Tem a sorte de ter a África do Sul como vizinho, a quem compra tudo, e o azar de nada ter para lhe vender.

O diagnóstico é de Momed Yassine, professor e analista político, que em declarações à Agência Lusa considera que no contexto regional Moçambique tem alguma influência política e prestígio mas a nível económico é quase nulo, e diz que será assim nos próximos anos.

Pessimistas são também Abdul Magid Osman, economista e ex-ministro das Finanças, e Nelson Saúte, sociólogo, que frisam que ainda hoje o país, com exceção do açúcar, não atingiu os níveis de produção de bens tradicionais anteriores à independência.

FONTE: Agência Lusa

Kaapstad

O primeiro contacto com a civilização Ocidental deu-se em 1488 pela mão de Bartolomeu Dias. Mais tarde, após a passagem de Vasco da Gama a caminho das Índias,  D. João II muda o nome de Cabo das Tormentas para da Boa Esperança.

A esperança fazia deste ponto no continente africano um local único!

Em 1652, muitos anos depois dos Portugueses, a Companhia Holandesa das Índias Orientais estabelece-se na região, organizando um pequeno porto onde as embarcações dos Países Baixos pudessem ancorar nas suas viagens transoceânicas.

A cidade foi crescendo e cedo se começou a afirmar como um ponto de passagem obrigatório. As influências holandesas, inglesas e orientais foram crescendo de igual forma. Caiu definitivamente para o controlo da Casa Real Inglesa em 1814.

Logo no início do século XX, os ingleses unificam todo o território do sul de África, formando a União da África do Sul (Colónia do Cabo, Repúblicas Bóeres e Colónia de Natal). Nasce uma nova capital legislativa para este grande país.

Cidade Mãe, é este o nickname da Cidade do Cabo.

Hoje, a Cidade do Cabo (ou Kaapstad em Afrikaans), é uma das mais cosmopolitas cidades de toda a África. Cidade segura e limpa, esta metrópole africana tem um conjunto de atracções turísticas únicas! A Table Mountain, o Cabo da Boa Esperança, a Península do Cabo, a Falsa Baía, o Victoria & Alfred Waterfront, a Robben Island, Camps Bay e a zona Vinhateira do Cabo tornam este destino muito apreciado pelos turistas.

Eis algumas fotos que tirei na minha visita em Setembro passado à cidade.

Imponente, bonita, única… a Europa no extremo sul de África!

ASMtv: Cape Town (Cidade do Cabo)

Imagem do dia #139

Depois de chegar ao fim da estrada… volto vagarosamente para trás.

Imagem do dia #130

Ele vai morder…

Imagem do dia #129

Espero que todos vós saibam que alimentar crocodilos não é uma boa ideia…

Foto retirada em St. Lucia, na costa do Índico, Província de KwaZulu-Natal, África do Sul.

Imagem do dia #128

 

Durban (em Língua zulu eThekwini) é uma cidade da África do Sul, na Província de KwaZulu-Natal, na costa do Oceano Índico. Tem cerca de 2.7 milhões de habitantes (4 milhões na área metropolitana). É a segunda cidade do país em número de habitantes (a primeira é Joanesburgo). A língua mais falada é o Zulu, seguida pelo Inglês, o Afrikaans e o Hindi.

A cidade perdeu muito do estatuto de destino internacional de férias durante a década de 90 do século XX, sendo substituída pela Cidade do Cabo. Contudo, Durban tem o maior porto de toda a África e aloja o maior terminal de contentores de todo o Hemisfério Sul.

Durban é, igualmente, a maior cidade da Província de KwaZulu-Natal. O nome da província tem duas origens. KwaZulu significa em Língua Zulu “A terra dos Zulus”. A Zululand é uma região natural de onde é originário o povo Zulu. O termo Natal provém da História. Oficialmente, Vasco da Gama aportou na costa desta região no dia 25 de Dezembro de 1497, um ano antes da sua chegada à Índia. Este território passou então a ser denominado Natal. O mesmo aconteceu durante o período de colonização britânica e durante o Apartheid. Desde 1994, ano das primeiras eleições livres na África do Sul, a denominação oficial da Província é KwaZulu-Natal. 

Chuvas de Janeiro!

O primeiro post de 2010!

Estão a ver aquelas notícias muito comuns na televisão portuguesa quando se aproxima o último dia do ano?

…chuva e frio em Portugal! Mas, na Austrália, o último dia do ano é passado em plena praia…” Desta vez eu também poderia aparecer em qualquer uma destas notícias! 🙂

 

Passei o último dia de 2009 em Port Edward, a sul de Durban. Esta pequena cidade costeira, a última da Província de KwaZulu-Natal, na África do Sul, é um destino apreciado pelos locais devida à sua longa costa marítima. Apenas um “se não” a este panorama tão bonito: a praia está infestada de tubarões! Sim, tubarões! “Mas as pessoas vão à mesma para a água e não têm medo!” – esta é a pergunta que qualquer um de nós poderia ter levantado quando chegasse à dita praia! Não se preocupem, pois a única coisa que preocupava os banhistas era aguentarem as ondas que fatigavam a costa!

Pela primeira vez vi uma praia cheia de gente, cheia de toalhas de praia e de sombrinhas! Com nadadores-salvadores e todos os detalhes que para um Português significa uma praia!

As ondas, algumas a atingirem os 2 metros de altura, eram uma diversão impressionante! Uma atrás de outras… algumas ao mesmo tempo… todos saltavam, mergulhavam… eu sei lá! Foi uma diversão por mais de duas horas! As pessoas acabam por sair “cansadas” de tanta diversão… e, estou certo, de muita água salgada bebida! 😉

E os tubarões?! Bem, por incrível que pareça ninguém estada preocupado com esses peixinhos! Na praia, como noutras espalhadas por toda a costa sul-africana, estava instalado um sistema de protecção. Na realidade, as protecções são umas barreiras (redes) esticadas a vários metros da costa. Impedem que os tubarões nos façam umas visitas… mas, como em tudo, pode haver falhas…

Por falar em falhas, pouco antes do fim de ano, um turista Sul-africano foi atacado por um tubarão na Ponta do Ouro, em Moçambique. Dizem que a água pouco mais dava do que pelos joelhos… o rapaz perdeu um braço e uma perna! Acabou por ser transportado de helicóptero para Richard’s Bay, já na África do Sul, e depois para Durban.

Bem, não tivemos nenhuma visita de nenhum tubarão! Ainda bem!

No mesmo dia, mas à noite, a praia começou a encher-se para os festejos da passagem de ano!  O fogo-de-artifício foi uma constante até à meia-noite. Os vários grupos iam crescendo a cada minuto que faltava para as zero horas. A fogueira no meio da praia ia crescendo também… A contagem decrescente foi em inglês!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A chuva veio logo fazer-nos uma visita, obrigando muita gente a abandonar a praia!

Hoje, tal como na madrugada do dia 1 de Janeiro, a chuva volta a ser a minha companhia! Mas, desta vez, chove torrencialmente. Estamos em plena época das chuvas. Muita água se avizinha… são as chuvas de Janeiro!


Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 44 outros seguidores