Posts Tagged 'Durban'

Imagem do dia #128

 

Durban (em Língua zulu eThekwini) é uma cidade da África do Sul, na Província de KwaZulu-Natal, na costa do Oceano Índico. Tem cerca de 2.7 milhões de habitantes (4 milhões na área metropolitana). É a segunda cidade do país em número de habitantes (a primeira é Joanesburgo). A língua mais falada é o Zulu, seguida pelo Inglês, o Afrikaans e o Hindi.

A cidade perdeu muito do estatuto de destino internacional de férias durante a década de 90 do século XX, sendo substituída pela Cidade do Cabo. Contudo, Durban tem o maior porto de toda a África e aloja o maior terminal de contentores de todo o Hemisfério Sul.

Durban é, igualmente, a maior cidade da Província de KwaZulu-Natal. O nome da província tem duas origens. KwaZulu significa em Língua Zulu “A terra dos Zulus”. A Zululand é uma região natural de onde é originário o povo Zulu. O termo Natal provém da História. Oficialmente, Vasco da Gama aportou na costa desta região no dia 25 de Dezembro de 1497, um ano antes da sua chegada à Índia. Este território passou então a ser denominado Natal. O mesmo aconteceu durante o período de colonização britânica e durante o Apartheid. Desde 1994, ano das primeiras eleições livres na África do Sul, a denominação oficial da Província é KwaZulu-Natal. 

Anúncios

Chuvas de Janeiro!

O primeiro post de 2010!

Estão a ver aquelas notícias muito comuns na televisão portuguesa quando se aproxima o último dia do ano?

…chuva e frio em Portugal! Mas, na Austrália, o último dia do ano é passado em plena praia…” Desta vez eu também poderia aparecer em qualquer uma destas notícias! 🙂

 

Passei o último dia de 2009 em Port Edward, a sul de Durban. Esta pequena cidade costeira, a última da Província de KwaZulu-Natal, na África do Sul, é um destino apreciado pelos locais devida à sua longa costa marítima. Apenas um “se não” a este panorama tão bonito: a praia está infestada de tubarões! Sim, tubarões! “Mas as pessoas vão à mesma para a água e não têm medo!” – esta é a pergunta que qualquer um de nós poderia ter levantado quando chegasse à dita praia! Não se preocupem, pois a única coisa que preocupava os banhistas era aguentarem as ondas que fatigavam a costa!

Pela primeira vez vi uma praia cheia de gente, cheia de toalhas de praia e de sombrinhas! Com nadadores-salvadores e todos os detalhes que para um Português significa uma praia!

As ondas, algumas a atingirem os 2 metros de altura, eram uma diversão impressionante! Uma atrás de outras… algumas ao mesmo tempo… todos saltavam, mergulhavam… eu sei lá! Foi uma diversão por mais de duas horas! As pessoas acabam por sair “cansadas” de tanta diversão… e, estou certo, de muita água salgada bebida! 😉

E os tubarões?! Bem, por incrível que pareça ninguém estada preocupado com esses peixinhos! Na praia, como noutras espalhadas por toda a costa sul-africana, estava instalado um sistema de protecção. Na realidade, as protecções são umas barreiras (redes) esticadas a vários metros da costa. Impedem que os tubarões nos façam umas visitas… mas, como em tudo, pode haver falhas…

Por falar em falhas, pouco antes do fim de ano, um turista Sul-africano foi atacado por um tubarão na Ponta do Ouro, em Moçambique. Dizem que a água pouco mais dava do que pelos joelhos… o rapaz perdeu um braço e uma perna! Acabou por ser transportado de helicóptero para Richard’s Bay, já na África do Sul, e depois para Durban.

Bem, não tivemos nenhuma visita de nenhum tubarão! Ainda bem!

No mesmo dia, mas à noite, a praia começou a encher-se para os festejos da passagem de ano!  O fogo-de-artifício foi uma constante até à meia-noite. Os vários grupos iam crescendo a cada minuto que faltava para as zero horas. A fogueira no meio da praia ia crescendo também… A contagem decrescente foi em inglês!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A chuva veio logo fazer-nos uma visita, obrigando muita gente a abandonar a praia!

Hoje, tal como na madrugada do dia 1 de Janeiro, a chuva volta a ser a minha companhia! Mas, desta vez, chove torrencialmente. Estamos em plena época das chuvas. Muita água se avizinha… são as chuvas de Janeiro!

Lourenço Marques/Maputo 122

PARABÉNS!

Notícias: Maputo aos 122 anos

 

Hoje a cidade de Maputo faz 122 anos! Apesar de ter sido fundada pelos Portugueses em 1782, apenas em 10 de Novembro de 1887 a então feitoria comercial foi elevada à categoria de vila. Desde então, 1887 passou a ser a data oficial do aniversário da cidade.

Grandes desafios desafiam a grande urbe moçambicana.

“Com cerca de 1,9 milhões de habitantes, Maputo assume-se como um cenário típico que se debate entre crescimento e desenvolvimento, onde ressalva uma convivência entre o velho e o novo que legitima o crescimento horizontal e vertical da urbe. Mais do que nunca, a natureza dos problemas que se colocam à cidade das acácias configura desafios que exigem cada vez maior engenho nas soluções da modernidade, ainda com aspectos latentes de ruralidade, no pensamento estratégico e dinamismo na execução dos projectos” – publica o Notícias na sua edição de hoje.

A capital do país, há muito detentora do cognome de Pérola do Índico, é um paraíso na costa Oriental de África! Com apenas 122 anos de existência, Maputo atingiu o seu expoente máximo entre os anos 60 e 70 do século passado. A urbe desempenhou um forte papel económico em toda a região, tendo sido um dos ângulos do importante triângulo industrial Durban – Transvaal – Lourenço Marques. Foi devido ao desenvolvimento do Transvaal (antiga região mineira do interior da África do Sul) e devido à posição estratégica que a cidade ocupava, que permitiu o rápido desenvolvimento de Lourenço Marques. Além deste triângulo económico, Lourenço Marques era um importante local de ligação da ex-Rodésia (actual Zimbabué) às rotas marítimas internacionais.

A Administração Portuguesa da ex-Província Ultramarina Moçambique arquitectou uma cidade futurista, com largas avenidas, vários complexos de edifícios altos, parques industriais e zonas de lazer. Uma cidade moderna e desenvolvida que hoje carrega sobre si os problemas da sobrelotação, má gestão, abandono, poluição extrema e anos de desleixo que impedem a cidade de funcionar correctamente.

Maputo (Outubro de 2006) © Wikipédia

 

Apesar das actuais circunstâncias, Maputo continua a ser uma cidade com potencial! A todos os Laurentinos, parabéns!


Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 39 outros seguidores