Vai um mergulho?!

Hoje o dia estava quente, abafado melhor dizendo, com umas nuvens escuras de trovoada lá no horizonte a ameaçar chuva tropical.

Como tenho feito desde há algum tempo, dirigi-me para a estrada junto ao Orfanato para apanhar o chapa para casa (cerca de 35kms de distância). Não tive de esperar muito até aparecer a primeira Hiace. Entrei. Era, como não podia deixar de ser,  uma carrinha maltratada, onde a estrutura interna já não tinha qualquer protecção de plástico.

Sentei-me na primeira fila da parte de trás, mesmo no centro do banco. Pelo retrovisor fui acompanhando os constantes desvios de olhar da estrada do condutor. Poucos quilómetros à frente parámos. O chapeiro pediu uma garrafa de água, saiu do carro e lavou a cara. Os olhos estavam vermelhos e era evidente o sono que o homem tinha. A viagem prosseguiu. Pouco mais de 1 ou 2 minutos depois o carro começa a fugir para a faixa da direita… guinada rápida para a esquerda. A história foi-se repetindo… eu acho que o condutor nem se apercebeu, até vir um camião carregado de tomates, que estava há várias centenas de metros em contra-mão.

Cada vez que as pálpebras do chapeiro se fechavam e o carro dava alguma guinada, eu parecia ser o único preocupado! Os meus reflexos eram por demais evidentes a cada guinada!

Exemplo de um chapa

Já estávamos perto de Lionde, acompanhando o canal de água central do sistema de regadio do Chókwè, quando os olhos do condutor de fecharam por completo! Rapidamente dei um encontrão no chapeiro que acordou e evitou dar um mergulho ao canal de água!

Depois deste susto, agora não só para mim, mas sim para todos os que viajavam comigo, o chapeiro ficou mais alerta. Procurou um CD de música bem mexida, colocou-o no rádio e lá fomos a ouvir beats de discoteca a altos berros!

Mas a história não acaba aqui… Já depois de Lionde, pertinho de chegar a Chókwè, vemos na estrada grande agitação. Enquanto nos aproximávamos, o alcatrão brilhava como se tivessem derramados milhões de pequenos cristais pelo pavimento.

Não demorou para perceber a razão de tanta agitação… Afinal, os brilhantes no chão eram os dois vidros da frente de dois chapas que colidiram um com o outro. Um ficou desfeito mas na estrada… o outro acabou por mergulhar dentro do canal de água! Numa das partes que ficou fora de água viam-se as marcas de sangue daqueles que conseguiram escapar. A confusão era muita quando passávamos por este carro.

Apesar de a polícia já estar no local quando lá passámos, não se sabia quantas pessoas tinham falecido.

Eu fiquei incomodado com a situação. Por um lado foi um acidente com um meio de transporte que sou obrigado a utilizar, por outro, já tinha feito a mesma viagem a bordo do carro que entrou na água.

“Jesus Christ” – foi o comentário de um passageiro ao ver esta tão triste cena, infelizmente uma cena muito típica nas estradas moçambicanas.

Exemplo de um chapa

Anúncios

0 Responses to “Vai um mergulho?!”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s




Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 44 outros seguidores

Anúncios

%d bloggers like this: